Notícias

06/12/2016Amazonia

BR 163 realiza evento pré-Fórum Social Pan-Amazônico

Pré-Fórum no Pará reuniu representantes de organizações dos movimentos sociais e jovens de comunidades rurais


Participantes dialogaram sobre o avanço do capital na Amazônia e as ameaças à biodiversidade e aos habitantes
Participantes dialogaram sobre o avanço do capital na Amazônia. (Foto: Fundo Dema)

Realizado em três etapas, o Pré-Encontro do Fórum Social Pan Amazônico (FSPA) ocorrido na região da BR 163, no Pará, reuniu representantes de organizações dos movimentos sociais, além de contar com a participação de dezenas jovens. O Fórum será realizado no próximo ano, na cidade de Tarapoto, no Peru.

A primeira atividade foi realizada no dia 15 de novembro. Cerca de 150 participantes estiveram no ginásio poliesportivo da comunidade São Pedro, situada no Km 26 da BR 163. Reunindo moradores dos municípios de Aveiro, Itaituba, Rurópolis, Trairão, Novo Progresso e Jacareacanga, o encontro buscou articular os movimentos sociais e comunidades tradicionais contra o modelo de desenvolvimento predatório que causa devastação ambiental e inúmeros problemas sociais. A partir do tema “Amazônia: Território, Luta e Resistência”, a atividade oportunizou o debate sobre os grandes projetos previstos e também os já instalados na Amazônia, bem como as ações de luta e resistência dos povos da região.

O segundo encontro reuniu jovens das comunidades rurais do Km 30. Realizada no distrito de Campo Verde, no dia 25 de novembro, a atividade contou com a participação de Andréa Rente e Sandro Leão, ambos docentes da Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA), que abordaram o desenvolvimento do agronegócio na Pan Amazônia.

A terceira atividade integrou a juventude da cidade de Itaituba. No dia 3 de dezembro, cerca de 50 jovens estiveram no encontro ocorrido no Ginásio Poliesportivo, localizado no km 25, e que contou com a participação de Iury Charles, integrante do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB). O militante debateu sobre o modelo de energia na Amazônia, pautado na destruição da biodiversidade e desterritorialização de povos e comunidades tradicionais.

Elmara dialoga sobre os retrocessos da PEC 55 e o agravamento dos problemas sociais, caso a proposta seja aprovada
Elmara dialoga sobre os retrocessos da PEC 55. (Foto: Fundo Dema)

De acordo com Elmara Guimarães, que integra o comitê local do FSPA, os encontros realizados possibilitaram a democratização do diálogo em defesa da Amazônia e de seus povos. “As atividades foram bastante participativas. Com os subsídios do que foi debatido, estamos preparando uma carta com demandas a serem encaminhadas ao Fórum Social Pan Amazônico. Além disso, tivemos a oportunidade de debater sobre a PEC 55 e os retrocessos que poderá causar à sociedade, e ainda nos articulamos para a participação no Fórum”, comentou.

Todas as atividades foram organizadas pelo comitê local do FSPA na região da BR 163, composto pelo programa da FASE na Amazônia/Fundo Dema, Comissão Pastoral da Terra (CPT) – Itaituba, Associação dos Moradores da Comunidade Campo Verde, Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais (STTR) de Itaituba e Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB).

[1] Fonte: Fundo Dema.

Enviando sua mensagem