Notícias

05/05/2020Bahia

BA: Ações do Programa de Aquisição de Alimentos no enfrentamento a Covid-19

Agricultores e agricultoras familiares das comunidades do Rio do Braço, Duas Barras do Fojo e Capelinha de São José, no município de Mutuípe, assessoradas pela FASE através do Projeto Bahia Produtiva, continuam fornecendo sua produção para o Programa de Aquisição de Alimentos na modalidade de compra direta e doação


FASE Bahia¹

Agricultores e agricultoras familiares das comunidades do Rio do Braço, Duas Barras do Fojo e Capelinha de São José, no município de Mutuípe, assessoradas pela FASE através do Projeto Bahia Produtiva SDR/CAR/FASE, continuam fornecendo sua produção para o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), na modalidade compra direta e doação simultânea. As ações do PAA no município são gerenciadas pela Secretaria Municipal de Expansão Econômica, Turismo, Meio Ambiente e Agropecuária (SEETMAA).

Foto: Caique Nascimento

A agricultura familiar, assim como muitos outros setores, vem enfrentando grandes desafios diante da pandemia da Covid-19. O distanciamento social é fundamental nesse processo, mas está impactando diretamente a comercialização de alimentos, em especial de hortifrutigranjeiros já que grande parte dos agricultores dependem das feiras municipais para a comercialização de seus produtos.

Caique Nascimento, diretor de Agricultura de Mutuípe, diz que “para amenizar a dificuldade de deslocamento dos agricultores e agricultores familiares e assegurar o cumprimento das medidas de segurança adotas pelo município para evitar aglomerações, a secretaria está realizando a coleta dos produtos dos agricultores, nas propriedades”. A assessoria técnica da FASE, dentre suas atividades de Assistência Técnica Rural (ATER) em Mutuípe, prioriza o acompanhamento das ações realizadas pelo PAA junto aos agricultores familiares regularmente acompanhados, pois é uma alternativa de comercialização que contribui para a promoção da segurança alimentar e nutricional.

Rosélia Melo, coordenadora do programa da FASE na Bahia, afirma que “o trabalho dos Agentes Comunitários Rurais (ACR’s) junto às comunidades, tem sido fundamenta para organizar o processo de levantamento da produção e de articulação junto aos agricultores para entregar os produtos de acordo com o cronograma de coleta estabelecido pela SEETMAA, nas comunidades”.

Foto: Caique Nascimento

A oferta dos produtos dos Quintais Produtivos, tem sido uma alternativa para diversificar os itens que compõem as cestas distribuídas para as famílias em situação de vulnerabilidade social. Uma ação realizada em parceria com o Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) do município.

A importância do PAA na ponta

Agricultoras da Associação de Mulheres da Duas Barras do Fojo participam do PAA. Gabriel Martins, agente comunitário, afirma que “nesse momento de pandemia, essa política pública tem sido fundamental para ajudar as pessoas carentes da comunidade, pois consegue agregar valor com as entregas dos produtos e ajuda quem precisa em comunidades vizinhas”.  O agricultor familiar, Valdemar dos Santos, da comunidade das Duas Barras do Fojo, lembra que “o PAA, garante o valor do produto da agricultura familiar e é importante para garantir alimentação das pessoas mais necessitadas”.

Foto: Caique Nascimento

Joelia Alves, ACR da comunidade Rio do Braço diz que na Associação da comunidade pequeno mutirões (de cinco pessoas) para plantar feijão, milho e hortas para o consumo e venda no PAA municipal estão sendo realizados. Já o educador da FASE na Bahia está auxiliando o cadastro emergencial das pessoas da comunidade, participando da produção de beijus, tapioca e abertura de novos mercados, como o Verdurão de Barra Grande, em Maraú, e o mercado na Serraria 2. “Essas ações tem melhorando a renda das mulheres do grupo”, ressalta Joelia.

Durante os últimos anos, os recursos destinados ao PAA vêm sofrendo significativos cortes orçamentários. Para implementar medidas de combate ao coronavírus, a Articulação Nacional de Agroecologia (ANA)² lançou uma campanha com objetivo de que o PAA retorne como uma medida estratégica. “Diante da pandemia, além de garantir a transferência de renda, é fundamental assegurar que as pessoas tenham acesso aos alimentos e que sejam alimentos de qualidade”, conclui Rosélia.

[1] Texto produzido pela equipe da FASE na Bahia.

[2] A FASE é membro da ANA.

Enviando sua mensagem