Notícias

28/03/2013AgroecologiaMato Grosso

Documentário traz impactos da soja no Centro-Oeste

Protagonistas são moradores de MT e MS afetados pelos agrotóxicos


Por Carolina Vaz, da FASE

 Está disponível na internet uma série de vídeos sobre os impactos sociais e ambientais do monocultivo de soja nos estados do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Os vídeos são trechos do documentário The Soy Connection (A conexão da soja, em livre tradução), que ainda não foi finalizado.

Em Posseiros da Terra, os relatos de um grupo de índios Guarani-Kaiová, na fronteira entre Brasil e Paraguai, reconstroem a época em que os fazendeiros não tinham chegado e os indígenas ocupavam a terra a que tinham e têm direito. Eles se lembram de quando os fazendeiros chegaram, atacando seus familiares, e expulsando-os do local. Os que ficaram, vivem na beira de uma rodovia.

Grãos Batizados fala de Lucas do Rio Verde, no Mato Grosso. Esta é uma das cidades de maior uso de agrotóxicos em lavouras, no estado que lidera o mesmo ranking nacional. O protagonista é o professor Wanderlei Pignati, que apresenta estudos que comprovaram a presença de resíduos de agrotóxicos no leite materno das mulheres da cidade, e também em mananciais da localidade. Os moradores relatam o sobrevôo dos aviões soltando veneno, e serem acometidos por doenças em virtude desses venenos. O agrotóxico também chegou à reserva indígena Bororo, de Piagaba: “A lagoa a gente usa sempre pra pegar peixe, aí o menino foi lá e viu aqueles peixes mortos…”, lamenta um indígena.

Pequenos agricultores se passa no assentamento 30 de Novembro, também em Lucas do Rio Verde, Mato Grosso. O agricultor Nilo Wandscheer explica a dificuldade de produzir sem venenos numa região cercada por plantações de soja e onde a maior parte da população come produtos de outras regiões.

O documentário

The Soy Connection é um projeto financiado por OXFAM; União Europeia; Defesa do Meio Ambiente e Ministério das Relações Exteriores da Holanda. Uma das parcerias na produção dos vídeos foi o Fórum Matogrossense de Meio Ambiente e Desenvolvimento (FORMAD). Segundo o site que abriga os vídeos, o documentário tem como objetivo evidenciar as relações entre a produção de soja no Brasil e a indústria holandesa de carne. A Holanda é segundo maior importador de soja brasileira, e um dos maiores produtores e exportadores de carne do mundo. Além de mostrar os impactos sociais e ambientais causados pelo monocultivo de soja no Brasil, o documentário ainda se propõe a expor as relações entre os financiadores holandeses, bancos, companhias de exportação, organizações de agricultura e políticos do país europeu nesse comércio.

O documentário também discute o lugar do consumo de carne diante da missão de alimentar a crescente população mundial. Há questionamentos sobre o crescente consumo deste tipo de alimento ser ou não uma questão de demanda do mercado. “Para produzir a atual quantidade de carne consumida somente na Holanda, é necessário um outro lugar, exatamente do tamanho da Holanda, ocupado só por soja”, afirma o site. O documentário quer evidenciar essa relação já que aponta que esse lugar é, justamente, parte do território brasileiro.

Enviando sua mensagem