Notícias

18/07/2012Bahia

Mulheres protagonizam venda de produtos agroecológicos pelo PNAE

Em Feira de Santana, na comunidade de Lagoa das Pedras, iniciativas comunitárias criam condições favoráveis à ampliação da abrangência do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE)


Durante recente visita da coordenação da FASE ao Portal do Sertão, o engenheiro agrônomo Wecslei Ferraz, juntamente com os técnicos agropecuários Wellington Santana e Ana Isabel, responsáveis pela assessoria da FASE às comunidades e às AMAs de municípios dessa região, foi possível constatar mais avanços na trajetória de acesso a políticas públicas e programas governamentais por parte de agricultores familiares que participam dessa experiência educativa da FASE.

Democratizar e ampliar o acesso de agricultores familiares ao Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) é uma das prioridades da FASE Bahia. Por isso, toda a equipe técnica, em conjunto com a coordenação atuante nos oito territórios, dedica esforços para disseminar informações e construir conhecimentos sobre o que é, e como funciona tal política. Além disso, a FASE Bahia acompanha iniciativas comunitárias, associativas e sindicais, comprometidas com a criação de condições concretas favoráveis à ampliação da abrangência do PNAE junto aos agricultores familiares.

Na Comunidade da Lagoa das Pedras, em Feira de Santana, agricultores familiares protagonizam a venda organizada e coletiva para o PNAE através do Grupo de Mulheres Famílias com Mulheres Agricultoras Empreendendo (FAMAE), organização da Associação Comunitária de Lagoa das Pedras (ASCOLPE). O grupo conta como uma de suas lideranças a senhora Luzinete da Silva Barreto, atuante como AMA na comunidade assessorada pela FASE desde 2008 – quando se iniciou o Projeto AMAS.

Entre 2011 e julho de 2012, o grupo de mulheres vendeu 72 mil reais para a merenda escolar, através do PNAE. As agricultoras e suas famílias produziram e comercializaram tempero pronto, beiju e biscoito. Para 2012, além desses itens, elas estão trabalhando com afinco para poder acrescentar a farinha de tapioca, farinha comum, geléia e bolo. Mas a iniciativa das mulheres não fica limitada apenas ao PNAE. Elas se organizaram também para produzir licor, vendido na própria comunidade. No São João, isso foi um sucesso!

A FASE também se sente na obrigação de parabenizar a ASCOLPE por ser uma das primeiras associações da região a conseguir a Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP) Jurídica, documento que abre diversas alternativas de comercialização para a associação enquanto pessoa jurídica. Isso permite aos agricultores associados comercializarem a produção, em conjunto, nos mercados formais e institucionalizados.

Dona Nete, como é conhecida a AMA Luzinete, agradece muito à FASE pela execução do Projeto AMAS. E não deixa de lembrar-se da administradora Diane Oliveira, que esteve na coordenação da FASE em 2010, e dos atuais integrantes da equipe técnica no Portal do Sertão, Wellington Santana e Ana Isabel.

Enviando sua mensagem