Notícias

23/03/2007Mulheres

No Pará, FASE apóia grupos de mulheres produtoras

No Pará, o trabalho da FASE com mulheres é desenvolvido junto ao Movimento de Mulheres do Nordeste Paraense (Mmnepa)


Fausto Oliveira

No Pará, o trabalho da FASE com mulheres é desenvolvido junto ao Movimento de Mulheres do Nordeste Paraense (Mmnepa). Este movimento congrega grupos de mulheres que estão construindo sua emancipação por meio de atividades produtivas. A função da FASE é assessorar estes grupos de modo que eles se constituam como grupos autônomos responsáveis por empreendimentos solidários. Para isso, foi criado o Programa de Formação em Gestão de Organizações Econômicas (Profor Gestão).

O Profor Gestão nasceu de um trabalho anterior de assessoria a grupos de mulheres de 13 municípios do nordeste paraense que têm pequenos empreendimentos agrícolas e agroecológicos. Havia a necessidade de criar meios de alavancar a renda destas mulheres, o que, já se sabia então, se refletiria em benefício econômico e social para as comunidades como um todo. A perspectiva de fortalecer seu trabalho de produção e comercialização gerou o programa, cujos objetivos são capacitar as mulheres para gerir seus próprios empreendimentos solidários, garantir um espaço para a mulher no sistema de cooperativismo e mostrar que não precisa haver divisão sexual do trabalho.

O programa vem realizando capacitações em cinco módulos, que tratam de gestão, projetos, economia e feminismo, inclusão digital e economia solidária. Passaram já por essa capacitação grupos produtivos de diversas áreas. Há produtoras de mel, galinhas caipiras, plantas medicinais, hortaliças, bijuterias e até um grupo de massoterapeutas.

Um resultado já percebido pelo trabalho do Profor Gestão é a aprovação de 13 projetos, dentre 15 que foram apresentados, para receber financiamento de um fundo especial para projetos produtivos de mulheres. Os valores do financiamento variam entre R$ 7,5 mil e R$ 10 mil. Com este pequeno financiamento, estes projetos poderão rumar com mais tranqüilidade para a autonomia das mulheres que os constituem. O desafio do Mmnepa e da FASE é acompanhar estes projetos e outros que não obtiveram financiamentos ainda, conhecer seus resultados econômicos e consolidar os grupos como organizações de mulheres cidadãs.

Enviando sua mensagem