Notícias

08/03/2010Direito à cidade

Núcleo de Direitos realiza segundo encontro de formação

Série de encontros sobre direitos humanos e políticas públicas leva a público jovem do Rio de Janeiro novas perspectivas políticas


Nos dias 26, 27 e 28 de fevereiro aconteceu o II Encontro de Formação em Direitos Humanos e Políticas Públicas, realizado no Centro de Acolhida Missionária Colégio Assunção, no bairro de Santa Teresa (RJ), organizado pelo Núcleo de Direitos Humanos (DESC/ FASE), com apoio da União Européia. O evento contou com a participação de três instituições oriundas de comunidades do Rio de Janeiro: o Instituto Raízes em Movimento, do Complexo do Alemão; a RedeCCAP (Rede de Empreendimentos Sociais para o Desenvolvimento Eqüitativo Democrático e Solidário), de Manguinhos/ FIOCRUZ, ambos em Manguinhos; além do Centro Cultural A História Que Eu Conto, de Vila Aliança.

O II Encontro de Formação surgiu a partir da necessidade de aprofundar os debates em torno da exigibilidade de direitos que já vem sendo realizados com jovens nos territórios, em um espaço de articulação mais amplo. E isso de fato ocorreu: o I Encontro de Formação, que aconteceu no mês julho do ano passado, contou com a participação de quase quarenta jovens. Desta vez, o número chegou próximo a setenta participantes.

As abordagens para as discussões sobre direitos humanos e políticas públicas foram variadas. Aconteceram rodadas de debates sobre direitos humanos, juventudes, territórios, política e outros temas relacionados à juventude.

O ponto alto foi a realização das oficinas culturais que propuseram uma forma alternativa para pensar os direitos humanos. Integrantes das instituições Raízes em Movimento e Centro Cultural A História Que Eu Conto tomaram à frente da oficina de graffiti para falar sobre o direito à educação. O teatro marcou presença com a Companhia Teatral a História Que Eu Conto, falando sobre o direito ao lazer. Também aconteceu uma oficina de fotografia oferecida pelo Instituto Raízes em Movimento. E como não poderia faltar música, o grupo musical Música na Calçada, do empreendimento sócio-cultural Casa Viva e o Laboratório de Direitos Humanos, ambos da RedeCCAP, fizeram uma roda de reflexão interativa a partir das letras e da linguagem musical, traçando uma trajetória histórica entre a música, a luta pela defesa e os princípios de direitos humanos.

A cultura deu a tônica do II Encontro também com a exibição de filmes. O Laboratório Territorial de Manguinhos da Fiocruz exibiu o filme “PAC – Manguinhos: o futuro a Deus pertence” (para assistir, clique aqui) e em seguida, propôs um debate crítico sobre a lógica da política de implementação do PAC Manguinhos, relembrando que outros pontos da cidade do Rio de Janeiro também se vêem atingidos pela mesma lógica, como é o caso do Complexo do Alemão. O coletivo de grafiteiros “Classe D”, parceiros do Instituto Raízes em Movimento também exibiu um documentário. “Essa é a Nossa Classe” relata a trajetória do grupo, e fala do grafitti como instrumento de mobilização política, especialmente da Juventude.

No último dia, as organizações apresentaram diagnósticos sobre suas comunidades, contextualizando e problematizando a situação dos direitos humanos vivenciadas. O Encontro se reafirmou como um espaço de discussão, troca de experiências e construção coletiva de exigibilidade de direitos.

Participaram e organizaram II Encontro de Formação em Direitos Humanos e Políticas Públicas as instituições: Núcleo de Direitos Humanos FASE (DESC/FASE), Instituto Raízes em Movimento (Complexo do Alemão/RJ), RedeCCAP – Centro de Cooperação e Apoio Populares (Manguinhos/RJ)
e Centro Cultural a História que eu Conto (Vila Aliança/ RJ).

Também participaram do encontro jovens ativistas do Fórum do Movimento Social de Manguinhos, da Capela São Daniel, do Laboratório Territorial de Manguinhos (ENSP/Fiocruz), do Comitê de Desenvolvimento da Serra da Misericórdia (Alemão) e do Verdejar (Alemão).

Apoio: União Européia.

Enviando sua mensagem