Notícias

30/09/2008Direitos Humanos

ONU responde a correspondência da Plataforma

A secretaria executiva da Plataforma Dhesca Brasil recebeu, na semana passada, uma resposta da Relatoria da ONU para Questões Indígenas sobre uma denúncia feita pela rede quanto a execução de um líder indígena em Pernambuco


A secretaria executiva da Plataforma Dhesca Brasil recebeu, na semana passada, uma resposta da Relatoria da ONU para Questões Indígenas sobre uma denúncia feita pela rede quanto a execução de um líder indígena em Pernambuco. A Relatoria da ONU pede mais informações sobre a execução de Mozeni Araújo, líder do Povo Truká, executado no dia 23 de agosto e casos similares já ocorridos lá.

Agricultor e militante pela defesa de seu povo, Mozeni era a principal testemunha de outro crime cometido contra os Truká há três anos, quando outro líder e seu filho foram executados por quatro policiais militares. Neste ano Mozeni era candidato a vereador e representava a luta pela demarcação e homologação das terras dos Trukás e uma forte resistência contra grandes projetos desenvolvimentistas, como a transposição do rio São Francisco.

A Plataforma DhESCA Brasil, através de três de suas Relatorias, esteve na região do povo Truká, no município de Cabrobó em julho de 2006, em missão para investigar denúncias de violação dos direitos humanos. Já na época, os relatores da rede denunciaram que o Povo Truká era vítima de constantes violações de direitos humanos e relataram ainda que “persiste a omissão estatal em relação aos povos indígenas, que se repete contra o Povo Truká, da mesma forma que acontece em outras regiões do País”.

Para o CIMI -Conselho Indigenista Missionário – que acompanha a comunidade desde a década de 80, durante esse tempo já ocorreram “torturas, seqüestros e assassinatos de indígenas, e em nenhum caso os responsáveis foram julgados e responsabilizados”, afirmou o secretário adjunto Saulo Feitosa.

Enviando sua mensagem