Notícias

07/12/2011Bahia

Resistência e perseverança no Extremo Sul

No território que é uma das regiões que mais sofre com a expansão das monoculturas do eucalipto e da cana-de-açúcar a agricultura familiar mostra sua força


image
O Território do Extremo Sul da Bahia é uma das regiões que mais sofre com a expansão descontrolada e agressiva das monoculturas do eucalipto e da cana-de-açúcar. A devastação causada praticamente acabou com toda cobertura florestal, degradou recursos hídricos, provocou intenso êxodo rural e confinou a Agricultura Familiar em pequenas áreas, cada vez mais isoladas e ameaçadas pelos latifúndios empresariais do agronegócio.

Este contexto vem sendo permanentemente atualizado pela FASE e seus parceiros do movimento sindical e associativo, graças à realização de atividades que congregam famílias agricultoras e constroem conhecimentos relacionados à definição e implementação de alternativas de gestão e de produção, favorecedoras do fortalecimento da agricultura familiar frente a esta ofensiva do agronegócio.

As visitas da Coordenação Estadual também somam para a ampliação de conhecimentos e elaboração de diagnósticos que qualificam a intervenção educativa da FASE no Extremo Sul. O fortalecimento da agricultura familiar é entendido como essencial para viabilizar a reprodução das condições de vida, de trabalho e de práticas sócioculturais das famílias que ainda conseguem permanecer como agricultoras em suas propriedades e comunidades. Este segmento da população é uma das últimas barreiras a completa submissão do Extremo Sul ao agronegócio e suas monoculturas.

Durante recente vista da coordenação estadual do projeto, representada pelo pedagogo Renner Oiticica, foi possível observar a evolução dos trabalhos nas comunidades de AMAs do município de Ibirapuã. Um dos Núcleos Produtivos instalados e funcionando é de fruticultura. Verifica-se também uma boa diversificação da propriedade com bovinocultura de leite. Outro Núcleo Produtivo é de suinocultura.

Neste mês de novembro, a equipe técnica da FASE responsável pelos trabalhos de assessoria aos jovens e às mulheres que atuam como AMAs no Extremo Sul, integrada por Adonias Lima, Narlande Costa e Poliane Alves planejou e realizou Oficina Modular dedicada ao aprofundamento de conhecimentos sobre elaboração de propostas para disputar acesso ao Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e ao Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae). Também explicaram os procedimentos necessários para que agricultores familiares consigam obter o Bloco de Notas do Produtor – Simbahia Rural.

 

 

Enviando sua mensagem