Notícias

14/12/2018SAAP

SAAP promove encontro entre grupos de luta por moradia, contra o racismo e o sexismo

Vídeos trazem entrevistas com representantes de alguns dos 19 coletivos e organizações presentes em atividade no Rio de Janeiro


(Foto: Carla Ventura/FASE)

Iniciativas coletivas apoiadas pelo Fundo SAAP, da FASE, se encontraram para refletir sobre o atual cenário político e social brasileiro. O evento contou a presença de representantes de 19 organizações e coletivos de diferentes territórios do Rio de Janeiro, Ceará, Pernambuco, Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo, Pará, Bahia e Maranhão.

Durante a atividade, foi construída de forma coletiva uma linha do tempo a partir do tema “Os movimentos sociais no tempo e os tempos dos movimentos sociais”. A dinâmica fez com que as pessoas lembrassem importantes momentos históricos ocorridos a partir dos anos 1970. A ideia foi olhar para o passado a fim de entender melhor o presente e buscar saídas frente aos atuais retrocessos.

A atividade, realizada no Rio de Janeiro entre nos dias 9 e 10 de novembro, também serviu para que as organizações e coletivos compartilhassem uns com os outros os efeitos das ações desenvolvidas a partir do apoio do Fundo SAAP. Os grupos presentes no encontro foram contemplados em edital lançado no ano de 2017. Seus principais focos de atuação são: resistência nos territórios urbanos em situação de ocupação; e juventudes e mulheres no combate ao racismo e ao sexismo.

Confira os vídeos¹ abaixo e conheça algumas das iniciativas.

Racismo em debate na Amazônia

Dandara Souza, do Centro de Formação do (a) Negro (a) da Transamazônica e Xingu, fala sobre o projeto “A carne mais barata do mercado é a negra”.

Comunicação popular e luta por moradia

Igor Mateus, do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) do Ceará, apresenta a iniciativa desenvolvida em Fortaleza junto com o Coletivo Nigéria.

Luta de mulheres indígenas

Laís Eduarda, do Coletivo Pelas Mulheres Indígenas – ThydêWá, conta que o Intercâmbio na Aldeia Pankararu, em Pernambuco, reuniu mulheres de oito povos.

Empoderamento de mulheres negras

Isabela Cordeiro, da Coletiva Magia Negra, diz que assuntos como ancestralidade, autoestima e estética estão no projeto realizado em Acari, no Rio de Janeiro.

[1] Gravação e edição: Carla Ventura, estagiária de Comunicação da FASE.

Enviando sua mensagem