Ações emergenciais da FASE durante a pandemia tiveram números expressivos. De outubro de 2020 a fevereiro de 2022, junto com parceiros, a FASE prestou solidariedade a 17.500 famílias em 9 estados brasileiros, através de ações emergenciais.

Entre as ações realizadas, foram distribuídas 18.457 cestas de alimentos da agricultura familiar e orgânica. E ainda 13.271 Kits kits de higiene e saúde, como máscaras, álcool em gel, remédios homeopáticos, água potável e sabonetes, Além de kits de roupas, fraldas, eletrodomésticos, entre outros.

 

“Desde o início da pandemia, a FASE se constituiu como uma organização em rede, do ponto de vista das ações emergenciais ou humanitárias. Então, o que vemos é uma cobertura bastante relevante da presença da FASE nos territórios e também, evidentemente das parcerias que contribuíram diretamente pra esses resultados”, afirma Evanildo Barbosa, diretor da FASE.

Resultados surpreendentes

São números bastante expressivos do ponto da trajetória histórica da FASE, que sempre foi uma organização que se colocou ao lado dos mais vulneráveis da sociedade brasileira e em dois anos a situação foi agravada pela pandemia que provocou uma situação emergencial de fome e de apoio humanitário.

“Concretamente são resultados que indicam que a FASE permanece como organismo de apoio, de prestação de serviços, de incidência nas políticas, mas também de uma organização que fortalece sujeitos políticos mesmo em contextos de ações emergenciais. Então ela se mantém no seu traço histórico essa ação altamente territorializada e voltada pra ajuda humanitária e a defesa dos direitos humanos mesmo em contextos emergenciais”, avalia Evanildo.

Segundo o diretor da FASE, outro resultado importante tem a ver com a dimensão do cuidado, do autocuidado que perpassa o trabalho da FASE. “E o cuidado não é só com as pessoas em situação emergencial, mas também na defesa das ações que essas pessoas e esses coletivos já realizavam. Como é o caso dos agricultores e agricultoras familiares, que foram mobilizados nas ações emergenciais em parte e apoiados, sustentados nas suas atividades econômica pelas ações que envolveram a compra de alimentos ou oriundos da agricultura familiar ou da agrofloresta ou mesmo alimentos de origem orgânica., lembra”

São resultados que mostram uma capilaridade importante da FASE e parcerias em lugares que nem sempre tem uma ação territorial como foi o caso do Ceará, de Minas Gerais. “Isso foi possível também porque a FASE, além do fundo Dema, tem o apoio do fundo SAAP que chegou a estados onde a FASE não tem atuação. Porque esse é o papel dele de fato ser uma antena, ser uma presença da FASE para além dos seus escritórios”, conclui. Essas ações terão continuidade, mas agora num outro cenário pós-pandemia.