Notícias

03/05/2021Amazonia

FASE repudia invasão no STTR de Santarém

A ação é uma represália das cooperativas da Resex Tapajós Arapiuns que querem a liberação do manejo madeireiro na região


Nesta segunda-feira, a sede do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Santarém (STTR) foi invadida. A ação é uma represália das cooperativas da Reserva Extrativista (Resex) Tapajós Arapiuns, localizada entre os municípios de Santarém e Aveiro, que querem a liberação do manejo madeireiro na região. 

Na última quinta-feira, dia 30, o Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1) decidiu suspender a liminar da Justiça Federal de Santarém, que autorizava a retomada dos processos de Plano de Manejo dentro da Resex Tapajós Arapiuns. Na decisão, foi considerado que os planos de manejo não poderiam avançar sem um processo adequado de consulta prévia, livre e informada à indígenas e comunidades tradicionais da região.

Esse é mais um episódio de intimidação e perseguição às organizações da sociedade civil, algo recorrente no atual cenário político do país. A estratégia é mesma que está acontecendo com o povo Munduruku do médio e alto Tapajós, em que os garimpeiros articulam um grupo de indígenas para se posicionarem contra os que defendem o território.  As cooperativas que estão fazendo essas invasões são articuladas pelos madeireiros da região, os grandes interessados nos conflitos.

A FASE repudia a invasão do STTR e presta seu apoio e sua solidariedade ao sindicato.

Enviando sua mensagem