Notícias

28/05/2021Pará

Moradores promovem campanha contra a venda de territórios do Pae Lago Grande

Assentamento criado para ser um território coletivo e livre de atividades predatórias sofre a invasão ilegal de megaempreendimentos


Sara Pereira¹

 

Venda ilegal Pae Lago Grande

Moradores do Pae Lago Grande, em Santarém (PA), se mobilizam em campanha contra a venda de terras no assentamento e pela sua consolidação enquanto um território livre da mineração. O Projeto Assentamento Agroextrativista Lago Grande foi criado em 2005 pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) com o intuito de ser um local de todos, atendendo à luta dos moradores que reivindicavam a titulação coletiva como forma de proteção à exploração de madeireira ilegal e outras atividades predatórias.

Entretanto, passados mais de 15 anos do seu nascimento, o projeto de assentamento ambientalmente diferenciado continua sendo alvo de grandes empreendimentos que desejam comprar as terras dos agroextrativistas para realizar atividades como a extração de minérios. Frente à investida de exploradores que, através de cooptação de lideranças e da disseminação de intriga entre comunitários, convencem moradores a venderem seus lotes. Organizações e movimentos populares do Assentamento denunciam que a venda de terras no PAE Lago Grande é um crime.

Em visita ao moradores, lideranças comunitárias dialogam sobre os riscos que a venda ilegal de terras representa para os modos de vida locais, bem como à proteção da floresta e de toda a biodiversidade que compõe o território. Os cartazes com mensagens de que “A venda de terras no PAE é crime”, Já pintam as casas do assentamento com o anúncio de que “PAE LAGO GRANDE É TERRITÓRIO COLVETIVO LIVRE DE MIERAÇÃO.

[1] Educadora do programa da FASE na Amazônia

Enviando sua mensagem