Notícias

14/12/2020

Morre Auta Fernandes Trindade, ex-educadora da FASE no Espírito Santo

Na regional capixaba, atuou na formação e organização de várias lideranças sindicais, entre metalúrgicos, bancários e trabalhadores da construção civil, nos anos 1980


A ativista Auta Fernandes Trindade, ex-educadora da FASE

Alcindo Batista*

Faleceu nesta segunda-feira, dia 14, aos 84 anos, a ativista Auta Fernandes da Trindade, em decorrência de complicações da COVID-19. Fundadora e diretora do Partido dos Trabalhadores (PT) do Espírito Santo, Auta chegou ao estado na década de 1970, vinda do Pará, seu estado natal. 

Na FASE, atuou na formação e organização de várias lideranças sindicais, entre metalúrgicos, bancários e trabalhadores da construção civil, nos anos 1980. “Auta foi uma pessoa muito importante na construção da FASE no ES. Bom que pudemos estar com ela por vários momentos, pois mesmo já aposentada, estava ativa nas lutas”, relembra Marcelo Calazans, coordenador da FASE no Espírito Santo.

Uma mulher guerreira, exemplo de liderança e comprometimento com o projeto popular e democrático. AUTA FERNANDES DA TRINDADE, PRESENTE!”, escreveu a deputada estadual Iriny Lopes numa rede social. Marta Falqueto, antiga companheira de manifestações, também lamentou a perda. “Uma pessoa muito presente na luta sindical, muito presente na pastoral (operária) da nossa arquidiocese”.

Em 2012, Auta recebeu o título de Cidadã Cariaciquense, em homenagem aos 122 anos de independência do município em que morou desde que chegou do Pará. “O Espírito Santo perde a maior educadora popular do nosso estado”, lamenta André Lopes, presidente do PT de Cariacica, em homenagem também nas redes sociais .

“A Auta nos visitou várias vezes, e nós fomos a Vitória também. As visitas eram como intercâmbios  para debater as questões urbanas naquele período. Ela tinha um compromisso muito presente com os movimentos, foi uma estimuladora desse debate”, comenta Maria da Graça Costa, presidenta do Fundo DEMA. “Eu conheci a Auta fora da FASE, na época da Constituinte, em que todos os movimentos se uniram. Então a gente estava sempre muito junto naquele período. Que notícia triste!”, relembra Geise Silva, ex-funcionária da FASE.

*Alcindo Batista é estagiário, sob supervisão de Claudio Nogueira

Enviando sua mensagem