Notícias

06/12/2017SAAP

Resultado do Edital SAAP 2017

Das 140 propostas, 41 se referiam a permanência e ou resistência nos territórios urbanos em situação de ocupação. As outras 99 eram coletivos de jovens e de mulheres que atuam no combate ao racismo e sexismo


O Edital SAAP/FASE 2017 tem por objetivo apoiar iniciativas coletivas que contribuam com as resistências nas cidades, especialmente a luta por moradia; com as lutas e resistência da juventude negra e com as lutas e resistências das mulheres no âmbito da violência de gênero.

Foram recebidos 153 projetos, dos quais 13 foram desqualificados, seja por não ter enviado formulário, fora do prazo limite do projeto, ou que não se enquadram entre aptos a encaminhar propostas (Micro Empreendedor Individual, empresas e organizações que tenham recebido apoio do SAAP em período inferior a dois anos).

Vale destacar que dos 140 projetos aptos para análise, 41 iniciativas eram referentes ao Eixo 1, de permanência e ou resistência nos territórios urbanos em situação de ocupação. Já 99 se encaixavam no Eixo 2, de iniciativas de coletivos de jovens e de mulheres que atuam no combate ao racismo e sexismo.

O Comitê julgador definiu indicar 21 projetos para apoio. Caso algum dos projetos selecionados não cumpra as exigências de repasse dos recursos dentro dos prazos estabelecidos, serão automaticamente desclassificados.

Projetos selecionados para apoio Eixo 1:

 

Titulo do Projeto Nome do Coletivo/ organização Cidade/ES
Conjunto Ana Facó – uma nova casa para o Brasil Movimento dos Trabalhadores Sem Teto/Coletivo Nigéria Fortaleza/CE
Encontro de Formação dos grupos da UMP/RJ União por Moradia Popular/RJ Rio de janeiro/R
Escola Popular de Formação Ana Dias Movimento Organizado dos trabalhadores urbanos/MOTU Aracaju/SE
Intercâmbio e sistematização de Experiências pelo Direito à Cidade Rede de Educadores populares do Nordeste – Nepe Recife/PE
Izidora: construindo territórios ecológicos, inclusivos e produtivos Agroecologia na Periferia Belo  Horizonte/MG
Morar Dignamente é um direito humano Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favela Rio de Janeiro/RJ
Ocupativa – Escola de Capacitação profissional das ocupações de resistência urbana capixaba Resistência Urbana Capixaba Vitória/ES
Oficina de Mídia Ativismo e cobertura fotográfica Coordenadores da Ocupação Macuco Timotéo/MG
Projeto Ocupação: Sensibilização, Visibilidade e Transformação BLOCO Ações para o Desenvolvimento do Habitar  

Campinas/SP

 

 

Projetos selecionados para apoio Eixo 2:

 

Título do Projeto Nome do Coletivo/organização Cidade/ES
“A carne mais barata vendida no mercado é a Negra”: Denunciando e Combatendo o racismo, a violência e a violação de direitos de jovens negros e mulheres negras no contexto dos grandes projetos do capitalismo na região da transamazônica e Xingu. CENTRO DE FORMAÇÃO DO (A) NEGRO (A) DA TRANSAMAZÔNICA E XINGU

 

Altamira/PA
Biua: Teatro dignificando o futuro de crianças e adolescentes do Cabula Associação Artístico-Cultural ODEART Salvador/BA
Casa da Palavra: reunindo Marias em Marcha pela Educação Popular Feminista Coletivo Feminista Rosa dos Ventos – Núcleo da Marcha Mundial das Mulheres RJ Rio de Janeiro/RJ
“Construindo a Equidade de Gênero” Avesol Bacabal/MA
Convergência política nas Vargens: o empoderamento de mulheres e jovens Coletivo Hortelã

 

Rio de Janeiro/RJ
Favelada 2.0 – Construindo Gambiarras para o Futuro  

GatoMídia

 

Rio de Janeiro/RJ

Flores Fortes Trupe Circus (Escola de Circo) Recife/PE
Mulheres jovens da cultura na luta contra o machismo em Acari Coletiva Magia Negra

 

Rio de Janeiro/RJ
Outros caminhos: precisamos discutir igualdade nas escolas Marcha das Vadias Recife

 

Recife/PE
Pelas vozes das mulheres indígenas do Nordeste Pelas Mulheres Indígenas Ilhéus/BA
Projeto de apoio ao Turismo de Base Comunitária Grota Quilo Grupo Grota Quilombola Mirangaba/BA
Violências de gênero, Mulheres quilombolas e marcadores sociais de diferenciação Coletivo de Entidades Negras

 

Salvador/BA

 

 

 

Enviando sua mensagem