Paula Schitine*

Educadores da FASE desenvolveram verbetes para o Dicionário de Agroecologia e Educação, que será lançado oficialmente amanhã, dia 12/4, pela Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV/Fiocruz), com apoio da Presidência da Fiocruz e as lideranças do Movimento dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais Sem Terra (MST), e em parceria com a editora Expressão Popular.

São eles, os verbetes: “Fome”, escrito por Maria Emília L. Pacheco; “Agroecologia nas Nações Unidas”, por Maureen Cristina Martins dos Santos, “Bens Comuns”, escrito por Julianna Malerba e o Bioma “Pantanal”, desenvolvido Fran Paula de Castro e Leonel Wohlfahrt.

“O Dicionário de Agroecologia e Educação é uma obra político-pedagógica arrojada e de grande atualidade. Trata de temas que nos convocam a refletir sobre princípios, diretrizes e práticas que relacionam a agroecologia, saúde, meio ambiente e alimentação. Tive a honra de participar desta construção. Falei sobre a FOME este flagelo que voltou a crescer no país. Mas o diálogo sobre os sentidos da alimentação saudável, da comida de verdade lá estão para nos dizer que os princípios do Direito Humano à Alimentação e Nutrição Adequadas e da Soberania Alimentar”, defende a educadora da FASE, Maria Emília L. Pacheco

Agroecossistemas, Capitalismo Verde, Cosmovisões, Educação Politécnica e Agroecologia são outros temas apresentados. Ao todo, são 106 verbetes, elaborados por 169 autores de 68 instituições distintas – universidades públicas, institutos federais de educação, movimentos sociais, institutos de pesquisa – e com representação de autores da Argentina, Guatemala e México, ao lado de pesquisadores e educadores brasileiros. Para a construção da obra, foram tomados como referências o Dicionário de Educação Profissional em Saúde e o Dicionário da Educação do Campo.

Na apresentação da obra, a presidente da Fiocruz, Nísia Trindade, ressalta que o Dicionário contribui para o conhecimento sobre a multiplicidade de experiências nacionais e locais que dão vida ao conceito de Agroecologia. “Resultado de um esforço coordenado, não se trata de uma simples reunião de temas, mas de um projeto integrado baseado em amplo diálogo que envolveu a produção coletiva da obra. O próprio processo de sua construção foi orientado pela perspectiva de se construir conjuntamente uma Pedagogia da Agroecologia”, afirma.

“Em um momento de profunda degradação ambiental, da mercantilização da vida, da destruição dos laços e da solidariedade humana, enfim, de exacerbamento do modo de vida aniquilador produzido pelo capitalismo, trazer uma obra como essa é um oxigênio que nos fornece a práxis para a construção de outras formas de ser nesse mundo”, conclui uma das organizadoras Anakeila de Barros Stauffer.

Dia do lançamento: 12/04
Local: Sala 106 – Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio – Av. Brasil – 4365 – Manguinhos – Rio de Janeiro – RJ
Hora: 9:00 AM

Baixe aqui o Dicionário
*Paula Schitine é jornalista da comunicação da FASE.