*Júlia Motta

A 27ª Conferência das Partes, ou COP27, começou neste domingo (06). Esse é o evento mais importante de tomada de decisões sobre o clima, realizado pela Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima, a UNFCCC. Ele acontece anualmente e cada vez em um país diferente. Neste ano, pela primeira vez, a COP está sendo no continente africano, no balneário de Sharm El-Sheikh, no Egito, entre os dias 6 e 18 de novembro.

Durante os 12 dias de evento acontecem debates entre os representantes dos países para pensar estratégias para diminuir as concentrações de gases do efeito estufa na atmosfera. Este grande tema abrange outras questões, como a adaptação da agricultura, o papel das juventudes na pauta climática, a questão de gênero, entre outros. A COP é dividida em dias temáticos e, com isso, ainda haverá debates nos dias de Finanças, da Ciência, de Descarbonização, da Água, da Sociedade Civil, da Energia, da Biodiversidade e de Soluções.

Esta COP27 em especial pode ser chamada de “COP da implementação”, de acordo com Letícia Tura, diretora-executiva da FASE, pois visa colocar em prática o Acordo de Paris, estabelecido em 2015 e assinado no ano passado, quando também foi formulado o seu Livro de Regras. É chamada assim também porque a cada ano nos encontramos em um estado mais crítico da crise climática, não havendo mais tempo para pensar apenas nas medidas de recuperação do planeta. É preciso agir agora.

Apesar da urgência, Letícia também ressalta, durante entrevista no Podcast Ecos da Amazônia, a lentidão das negociações das COPs passadas. “O que a gente observa nestes quase 30 anos de Conferência é que se dão lentas negociações para se chegar a decisões comuns, que normalmente demoram para serem ratificadas pelos países. A gente observa também que nestes 30 anos, os temas de Adaptação e Perdas e Danos, sempre ficam em segundo plano nas negociações”, observa.

Como funciona a COP

O evento é dividido em duas zonas: a Zona Azul, onde participam apenas as delegações dos países, membros internacionais e a imprensa, e a Zona Verde, aberta ao público em geral, onde ficam os observadores e as organização da sociedade civil, como as ONG’s.

A FASE na COP

A FASE, que tem como duas de suas causas a Justiça Climática e a Soberania Alimentar, não poderia ficar de fora deste evento. Por isso, fomos até o Egito acompanhar de perto as negociações, além de levar nossas vozes como ativistas do clima.

Para nos representar, estão a Diretora Executiva Letícia Tura, e a Coordenadora do Grupo Nacional de Assessoria, Maureen Santos. Elas vão participar da COP através de mesas que vão acontecer no stand Hub Brasil.

Agenda da FASE na COP

09/11 – 18h

Leticia Tura participa de mesa: “Cooperação Sul-Sul: Comunidades Negras produtoras de Alimentos da Agroecologia do Oceano Atlântico“, no pavilhão Food4Climate.

10/11 – 10h

Maureen Santos participa de mesa “Ambições Cllimáticas nos países do BRICS”, no Brazil Climate Action Hub;

10/11 – 11:30

Maureen Santos integra a mesa sobre “Acordo de Associação UE-Mercosul e a diligência prévia de produtos livres de desmatamento: desafios para o Cerrado e debate de salvaguardas“, também no Brazil Climate Action Hub.

11/11 – 11:15

Letícia Tura integra o debate “Estratégias e adaptação para a urgente transição dos sistemas alimentares“, também no Brazil Climate Action Hub.

11:11 – 17:30

Maureen vai moderar a mesa “Inclusão dos países em desenvolvimento na agenda de baixo carbono: suporte nas estratégias econômicas e orçamentais coerentes” no pavilhão IDFC.

Nesta quarta, dia 09, começa o primeiro Dia Temático da COP, com discussão entre as delegações oficiais, além de atividades dos observadores.

Para acompanhar a COP27 e as ações da FASE no evento, você pode nos seguir no Instagram e no Twitter, onde estamos sempre postando um conteúdo diferente para te ajudar a entender melhor o que acontece neste evento.

*Júlia Motta é estagiária de Comunicação da FASE.