Ontem (09), Francileia de Paula, educadora do programa da FASE no Mato Grosso, participou da Conferência Internacional sobre Reforma de Terra em Moçambique, organizada pela Aliança da Sociedade Civil contra a Usurpação de Terras (ASCUT). O encontro aconteceu de forma remota e teve o intuito de discutir a proposta de regularização do governo e trazer o histórico de países como o Brasil na luta por reforma agrária ou por regularização de terras.

“Apresentei uma linha do tempo das políticas públicas e as ações construídas no país à nível governamental, mas também as ações de incidências de movimentos sociais no sentido da luta pela redistribuição das terras no Brasil, que é um país que apresenta uma grave elevação de terras”, afirma Francileia. Ela conta ainda que foram abordados temas financeirização de terras e na remodelagem no que diz respeito às questões agrárias no pais, como o cortes em torno de 70% na política de reforma agrária e a ameaça de aprovação do PL da grilagem, o que é um risco para os territórios tradicionais e das florestas.