Com o objetivo de debater como as questões atuais, no que diz respeito ao Meio Ambiente, podem enfraquecer a democracia, Maureen Santos, coordenadora do Grupo Nacional de Assessoria (GNA) da FASE, participou da 10ª edição do programa “Brasil em Questão”, da Universidade de Brasília (UNB). Na ocasião, ela teve a companhia de Carlos Augusto Klink, professor do departamento de Ecologia, também da UNB. A apresentação ficou por conta da jornalista Ana Romio.

“O agronegócio e os setores ligados a ele vão precisar de um meio ambiente limpo”

Durante o encontro, Maureen e Carlos Augusto conversaram sobre a falta transparência nas políticas públicas e a retirada da participação da sociedade civil nos órgãos do Estado, como aconteceu no Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), e agora a população não tem mais poder de voz nas decisões da entidade. Além disso, Maureen falou sobre a saída do ex-Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e a entrada do atual, Joaquim Leite; as diferenças entre os tipos de agricultura, o projeto de licenciamento ambiental e o aquecimento global.

Sobre o aquecimento global, Maureen diz não haver dúvidas sobre a sua existência, ainda mais com os recordes negativos de temperaturas do atual inverno, a seca e, mais recentemente, os casos de chuva na China, que tem provocado um verdadeiro dilúvio. “Os negacionistas estão tendo trabalho para provar que o aquecimento global não existe”, finalizou.