Fernanda Damasceno

Durante os dias 29 e 30 a jovens da Amazônia movimentaram a Tenda das Juventudes, que levou diversas programações ao X FOSPA em Belém. Foram oficinas, debates, rodas de conversa, mostra audiovisuais, tudo organizado e pensado por juventudes para debater a defesa dos territórios da Amazônia.

Segundo Yuri Santana, educador da FASE e um dos jovens que estavam à frente da construção desse espaço, “O Territórios das Juventudes surgiu a partir da animação da Fase e de provocações feitas através da união de organizações e coletivos de Juventudes em reuniões virtuais que se deram por meio da necessidade de uma atuação mais ampla das Juventudes da Amazônia, seja elas das cidades, campos, florestas e das águas”.

Foram meses de reuniões virtuais e construções coletivas, além de mobilizações através das redes sociais para que esses espaços pudessem ocorrer. Para a atriz, produtora e realizadora audiovisual Gabriela Luz, a tenda foi um espaço para que as juventudes pudessem ter suas vozes e seus processos, que a muito vem se acumulando, ouvidos. Gabriela foi a apresentadora da atividade principal da tenda, o Talk Show “Fala Juventudes!” um debate sobre comunicação popular e defesa dos territórios.

O talk show foi a atividade autogestionada do Territórios das Juventudes e abriu as atividades da tenda “não por acaso esse talk show foi esses espaço inicial da gente abrir a tenda, tenho muito orgulho de ter feito parte disso porque é um impulso e foi construído de maneira coletiva, de forma autêntica, autêntica porque fomos nós que fizemos né, foi cheia de protagonismo nosso”, diz Gabriela.

O Territórios das Juventudes foi um espaço construído e protagonizado pelas Juventudes, Juventudes negras, indígenas, quilombolas, periféricas, LGBTQIA+, estudantes, trabalhadores, juventudes essas que refletem a diversidade e a necessidade de promover mais espaços de protagonismo jovem para que as novas gerações possam não só ficar por dentro dos debates de defesa da região, mas também construir uma frente de resistência frente aos ataques seja contra seus territórios, sua cultura, seu modo de viver ou até mesmo contra suas vidas.