Notícias

16/07/2021AgroecologiaSegurança Alimentar

“As mulheres estão ressignificando a agroecologia”

Em atividade da Fundação Perseu Abramo, Maria Emília Pacheco ressaltou que as mulheres tem liderados os processos de transição agroecológica


Alcindo Batista ¹

Maia Emília Pacheco, assessora da FASE, participou de debate promovido pelo Núcleo de Acompanhamento de Políticas Públicas (NAPP) Agrícolas e Agrárias, da Fundação Perseu Abramo, sobre soberania e segurança alimentar. Também estiveram presentes José Graziano da Silva, ex-diretor geral da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), e Guilherme Costa Delgado, coordenador da Associação Brasileira de Artes (ABRA) e pesquisador do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA). A mediação ficou por conta do deputado federal Pedro Uczai. 

 

Inicialmente, Maria Emília apontou que, nesse momento, a questão alimentar precisa ser vista no centro, como característica de uma crise climática, política, ambiental, econômica, social e nutricional. A assessora da FASE sugeriu que as políticas públicas de combate à fome precisam ser pensadas articuladamente, à exemplo do que é hoje o Sistema Único de Saúde (SUS), Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (SISAN) e o Sistema Único de Assistência Social (SUAS), isso sem considerar o processo de sucateamento que estes vêm passando. No entanto, ela diz sentir algumas lacunas nas políticas públicas. “Nós estamos fazendo 20 anos do Estatuto da Cidade, que não contempla o direito à alimentação, por exemplo. É preciso trazer esse debate, associado à questão do planejamento urbano, de gestão da cidade, a cidade que queremos e que desenvolvimento se pretende”. 

Nesse sentido, a Maria Emília destacou ainda a importância das mulheres enquanto agentes de transformação quando pensamos em sistemas alimentares. “As mulheres estão ressignificando a agroecologia, transformando pela sua leitura e prática do que são os sistemas alimentares agrícolas diferenciados no país. São elas que lideram também os processos de transição agroecológica e que nos trazem conceitos para praticar e repensar economias”, disse. 

[1] Estagiário, sob supervisão de Cláudio Nogueira

Enviando sua mensagem