Notícias

18/05/2017Amazonia

Fórum permanente de combate aos agrotóxicos é criado no Baixo Amazonas

De acordo com João Gomes, educador do programa da FASE na Amazônia, são muitos os conflitos socioambientais presentes na região que tem como principal causador o avanço do agronegócio e, consequentemente, de outros grandes projetos


Eduardo Enrique¹

“Os grandes projetos e os conflitos socioambientais na região”, esse foi o principal tema da audiência pública realizada nos dias 15 e 16 de maio no auditório Luzia Fati, do Sindicato dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares de Santarém (STTR), no oeste do Pará. O evento reuniu moradores de comunidades das regiões de Várzea e Planalto Cuiabá, Ituqui, Curuá-Una e Eixo Forte, lideranças de sindicatos e movimentos sociais e autoridades do Ministério Público Estadual e Ministério Público do Trabalho.

De acordo com João Gomes, educador do programa da FASE na Amazônia, são muitos os conflitos socioambientais presentes na região que tem como principal causador o avanço do agronegócio e, consequentemente, de outros grandes projetos como: construção de hidrovias, ferrovias e portos, bem como a exploração mineral, construção de hidrelétricas e exploração madeireira. Todos esses megaprojetos afetam diretamente a vida de agricultores familiares, indígenas, ribeirinhos, extrativistas e pescadores que são obrigados a abandonar suas terras pela pressão que sofrem do grande empresariado com o apoio da classe política.

Para Gomes, o modelo de desenvolvimento adotado pelo Brasil é nocivo às populações que habitam há anos a região. O educador comentou ainda que as florestas, os mananciais e as culturas locais são deixados de lado em prol de estradas de ferro, exploração de minério, hidrelétricas e plantio da soja. O ponto alto da audiência foi a criação do Fórum Permanente de Combate aos Agrotóxicos na Região do Baixo Amazonas, antecedido por duas palestras que trataram do uso excessivo de agrotóxicos nas grandes plantações de soja e milho na região.

A promotora de Justiça Lilian Braga, da promotoria de Educação e Saúde, que participou da audiência e da criação do Fórum, destacou a importância do espaço para esclarecimentos  sobre a utilização inadequada de agrotóxicos e os problemas gerados na saúde de agricultores e consumidores. Braga vê o Fórum como um marco histórico para a região e instrumentos de diálogo importante diante do avanço do agronegócio na região.

O Fórum foi criado com representação governamental dos municípios de Santarém, Mojuí dos Campos e Belterra, do estado do Pará e da União, organizações não governamentais e entidades da sociedade civil organizada. Já a audiência pública faz parte do planejamento do Projeto Conhecer para Fortalecer os Desafios no Município de Santarém e Região coordenado pelo STTR em parceria com a FASE, Universidade Federal do Oeste do Pará, Terra de Direitos, Comissão Pastoral da Terra e demais entidades e órgãos que defendem o direito a vida e a posse da terra. 

Ouça a entrevista da promotora Lilian Braga sobre a importância do Fórum:

 

[1] A reportagem foi realizada pelo comunicador Eduardo Enrique, que também integra a rede Mídia dos Povos, para a Pulsar Brasil.

Enviando sua mensagem