Notícias

30/06/2017Rio de Janeiro

Lançamento do Comitê Popular de Lutas da Baixada Fluminense

Iniciativa visa a articulação das agendas e das lutas sociais: unidade nos objetivos e tolerância nas táticas. Venha participar do lançamento do Comitê de Lutas da Baixada Fluminense e da carta compromisso do Comitê Popular de Lutas do Estado do Rio de Janeiro


Convidamos organizações, movimentos populares, sindicatos, instituições acadêmicas e estudantis, redes de ativistas para se engajarem na Construção do Comitê Popular de Lutas da Baixada Fluminense. Venha participar do lançamento do Comitê¹ e da carta compromisso do Comitê Popular de Lutas do Estado do Rio de Janeiro, no dia 1 de julho, em São João de Meriti (RJ). O evento ocorre na Sede da ABM – Conselho de Entidades Populares, das 9h às 13h. 

As eleições de 2016 foram marcadas pela vitória das forças conservadoras na grande maioria das cidades do estado do Rio de Janeiro, o que reforça os riscos de aprofundamento das graves desigualdades sociais que marcam a metrópole fluminense e de expansão da neoliberalização das políticas públicas.

No Brasil, o processo de neoliberalização das cidades envolve a elitização de espaços de interesse do mercado imobiliário, o corte ou redução das políticas de habitação de interesse social e urbanização de favelas, a privatização da água e dos serviços públicos, como no caso do saneamento ambiental e dos equipamentos de saúde, a mercantilização da mobilidade urbana e o aumento abusivo das passagens dos transportes públicos, a difusão das Parcerias Público Privadas (PPSs), o aumento das remoções, a repressão aos camelôs, a violência contra os jovens pobres e negros, e a retração das políticas sociais. Como efeito, já são evidentes os sinais de aumento da pobreza urbana nas ruas das cidades.

Os impactos destes processos sobre as periferias urbanas, em especial sobre a Baixada Fluminense, são graves, tendo em vista as desigualdades socioespaciais que historicamente marcam estes territórios. No contexto das contradições desta agudização conservadora, os conflitos urbanos decorrentes da implementação deste projeto excludente de cidade e a necessidade das forças progressistas de se articularem para resistir contra o golpe político no país e lutarem pelo direito à cidade como um bem comum desafiam a construção de um espaço de articulação das lutas no estado do Rio de Janeiro.

O Comitê Popular de Lutas se define como uma articulação que reúne organizações populares, sindicais, organizações não governamentais, pesquisadores, estudantes, atingidos pelas intervenções urbanas promovidas pelo poder público e pela iniciativa privada, mandatos populares e partidos progressistas, além de pessoas diversas comprometidas com a luta pela justiça social e ambiental, e pelo direito à cidade.

O objetivo do Comitê é articular as diversas lutas sociais em torno de um novo projeto includente, socialmente justo e democrático no estado do Rio de Janeiro. O Comitê Popular de Lutas pretende promover reuniões e debates públicos, produzir documentos e dossiês de denúncias sobre as violações de direitos humanos, organizar atos públicos, promover ações insurgentes e disseminar informações, tendo como perspectiva a construção de uma visão crítica sobre os projetos implementados nas cidades fluminenses e no estado.

[1] Com informações da Casa Fluminense.

Enviando sua mensagem