Boa Viagem, no Recife (PE). Foto: Raul Kawamura

Com o tema “Urbanismo e segregação”, Rud Rafael, educador do programa da FASE em Pernambuco, e Tomás Lopes, professor da UFPE, participaram do programa Opinião Pernambuco, uma produção da TVU Recife, da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Eles falaram sobre gentrificação e como ela ao mesmo tempo em que é uma política de planejamento urbano, também é de segregação social com a retirada dos mais pobres e a ocupação dos mais abastados do espaço revitalizado.

Rud contou como esse tipo de política priva do acesso à cidade justamente aqueles que mais precisam, como essa vem sendo uma luta do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST, do qual ele também faz parte) e como a luta por uma política habitacional popular se tornou algo internacional. Além disso, também citou o levantamento em que 41 imóveis se encontram sem utilidade no Bairro de Santo Antônio, no Centro de Recife, e como o uso desses bens poderia dinamizar a economia, local e ajudaria a segurança. “O poder público precisa entender que é necessário um debate com os movimentos sociais e toda a sociedade.

“Deu certo aqui no Recife”

Quando perguntado sobre exemplos bem sucedidos de revitalização com a democratização dos espaços urbanos, ele deu o exemplo da Vila Sanhauá, em João Pessoa (PB). “Com o investimento do município para revitalização de imóveis que passaram servir como moradias e comércios populares, imóveis antes em ruínas foram modificados para ser um centro de comércio popular”, explicou. “Ninguém aqui é contra o progresso, muito pelo contrário, o que a gente quer é que a cidade seja democratizada”, finalizou