Notícias

18/02/2016Justiça Ambiental

Atingid@s pela Vale repudiam conteúdo de propaganda da Samarco em horário nobre na TV

O anúncio pago pela Samarco para tentar limpar sua imagem não vale a vida das 17 pessoas que morreram no maior desastre ambiental da história do país, não vale a dignidade dos que perderam casas e não trará o Rio Doce de volta


“É sempre bom olhar para todos os lados”¹. Esta é a frase que estampa a página da Samarco (Vale e BHP Billiton) depois de ter um tempo precioso – e caro – em horário nobre na televisão brasileira para apresentar supostos e questionáveis benefícios após 102 dias do maior desastre ambiental da história do Brasil: o rompimento da barragem do Fundão, em Bento Rodrigues, distrito de Mariana, em Minas Gerais.

Se formos mesmo olhar para todos os lados, queremos saber por que após mais de 100 dias do acidente não houve nenhum tipo de punição para as empresas responsáveis por esse crime ambiental. Queremos saber por que a Samarco não fala sobre o indiciamento pela morte de 17 pessoas. Queremos saber se cada família que ficou desalojada recebeu 100 mil reais de indenização. Queremos saber se os bens da mineradora Samarco estão bloqueados, como determinou a Justiça de Minas Gerais. Queremos saber até onde vai chegar a lama tóxica causada pela ambição da mineração até que a justiça seja feita.

charge sobre a ValeDesde o rompimento da barragem, no dia 5 de novembro de 2015, temos acompanhado de perto toda a ação da empresa em relação às famílias e comunidades atingidas pelo rompimento da barragem. Como movimentos e frentes organizadas, estamos vigilantes a todos os passos desta empresa. Foi de causar revolta e dor ver em horário nobre (Quanto a Samarco gastou para veicular?) a empresa se esconder atrás de trabalhadores e trabalhadores, de pessoas atingidas pelo desastre, para justificar o que simplesmente não se justifica. Um anúncio pago não vale a vida das pessoas que morreram, não vale a dignidade de todas as famílias que perderam suas casas e nunca vai trazer de volta o Rio Doce, hoje símbolo do que realmente representa a exploração mineral em todas as suas formas.

Quando olhamos para todos os lados continuamos vendo a impunidade!

Se mantendo no rastro da arrogância e esbanjando poder que ainda tem, a empresa busca recuperar sua imagem usando trabalhadores e trabalhadoras, querendo imprimir uma imagem fictícia de compromisso e bondade que ressurge depois do crime ambiental divulgado em toda imprensa internacional.

Para nós, povo brasileiro, não há mídia positiva que tire a imagem que jamais vamos esquecer. Se a Samarco queria ficar para sempre na lembrança do público, ela conseguiu! Os mais de 600 quilômetros de lama que invadiram rios e mares, levando vida e esperança já entraram para a história. E vamos exigir justiça.Todos os dias!

Confira a contrapropaganda em resposta à Samarco:

[1] Nota da Articulação das Atingidas e Atingidos pela Vale..

Enviando sua mensagem