Notícias

17/12/2018Amazonia

Educadora da FASE Amazônia é homenageada pela Alepa

Na ocasião, além de Maria das Graças Costa, Aldebaram Moura, falecida em dezembro, também teve sua luta reconhecida in memorian


Élida Galvão¹

Em sessão solene realizada na semana alusiva às comemorações dos 70 anos do dia da Declaração Universal dos Direitos Humanos, a Assembleia Legislativa do Estado do Pará (Alepa) homenageou a educadora social do programa da FASE na Amazônia, Maria das Graças de Figueiredo Costa. A condecoração ocorreu na manhã do último dia 13, com a entrega da medalha Paulo Frota². A homenagem se estendeu à educadora Aldebaram Moura, uma das coordenadoras da organização.

Maria das Graças é uma das lutadoras de maior importância na entidade, com histórico de militância iniciado muito cedo, quando ainda lecionava em escola pública, seguindo a pedagogia libertária e emancipadora de Paulo Freire.

Graça durante discurso na Alepa. (Foto: Fundo Dema)

Mulher negra e feminista, como se identifica, Graça vem atuando na FASE desde a década de 60, quando a entidade fora criada. Sua trajetória também perpassa pela luta contra a ditadura militar, pela atuação nas pastorais sociais, momentos em que contribuiu para a formação de centenas de mulheres e jovens frente à luta pelo direito à cidade e pela reforma urbana.

Enquanto educadora da FASE, junto a outras mulheres fundou o Fórum de Mulheres da Amazônia Paraense, esteve à frente da realização do Fórum Social Pan Amazônico no Brasil e integra o Movimento de Mulheres do Nordeste Paraense (MMNEPA), assim como a Articulação Nacional Agroecologia (ANA).

Além disso, Graça participou da criação e integra o Comitê Gestor do Fundo Luzia Dorothy do Espírito Santo, um fundo vinculado ao Fundo Dema e que se volta ao apoio de projetos coletivos de mulheres do campo e da cidade com o objetivo de fortalecer a autonomia e contribuir para o empoderamento de mulheres da região Oeste do Pará, especificamente nas regiões do Baixo Amazonas, Transamazônica e BR 163. 

Ao se pronunciar, Graça falou sobre a luta das mulheres na sociedade brasileira para a conquista da democracia e pela igualdade. “Colocamos o nosso medo, a nossa expectativa nem sempre tão positiva com o desrespeito e de desvalorização dos direitos humanos. Não há como não falar sobre os crimes que avançam sobre as crianças, sobre as mulheres e sobre a juventude negra da periferia. Não há como não falar das mulheres que mesmo com os avanços conquistados, ainda são grandes vitimas da violência que está em casa e muitas outras mortas a cada dia pelo feminicídio”.

Reconhecimento

De pé, Aldebaran Moura. (Foto: Élida Galvão/Fundo Dema)

Além de Graça, outra mulher da FASE fora homenageada, Aldebaram Moura, militante dos direitos humanos, falecida no dia 05 de dezembro. Baram, como era mais conhecida a coordenadora adjunta da FASE na Amazônia, teve seu histórico de luta reconhecido in memorian, assim como outros militantes, entre eles, o dirigente do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Ulisses Manaças, falecido em agosto deste ano.

As homenagens contaram com a intervenção do Dep. Carlos Bordalo, presidente da Comissão de Direitos Humanos e Defesa do Consumidor da Alepa, que também homenageou a Associação dos Agroextrativistas, Pescadores e Artesãos do Pirocaba, entidade que representa a comunidade acompanhada pelos educadores e educadoras da FASE e que lançou seu Protocolo de Consulta no mês de outubro. A Associação dos Discentes Quilombolas da Universidade Federal do Pará (UFPA) foi outra importante entidade condecorada durante a cerimônia.

[1] Comunicadora do Fundo Dema.

[2] A comenda Paulo Frota faz menção ao juiz da infância e da adolescência falecido em 1991, que se tornou um ícone na luta pela implantação e garantia do cumprimento do estatuto da Criança e do Adolescente.

Enviando sua mensagem