Notícias

20/05/2019Mato Grosso

Reflexão sobre os efeitos do uso de agrotóxicos na agricultura em San Ignacio de Velasco

Educadores da FASE participam de evento sobre as questões sociais e ambientais devido ao uso de agrotóxicos na agricultura, durante intercâmbio na Bolívia


Educadores do programa da FASE em Mato Grosso participam de debate realizado pelo Centro de Pesquisa e Promoção do Campesino (CIPCA) Santa Cruz, “Problemas sociais e ambientais pelo o uso de agrotóxicos na agricultura”, na cidade de San Ignacio de Velasco, em Santa Cruz, na Bolívia.

O evento teve como objetivo incentivar uma reflexão coletiva entre os moradores de San Ignacio de Velasco sobre como esse município vem sendo desmatado e como a fronteira agrícola avança não apenas a partir do plantio de soja, mas também implica no aumento do uso de agrotóxicos e das sementes transgênicas.

Francileia Paula Castro, educadora do programa da FASE em Mato Grosso. (Foto: CIPCA Santa Cruz)

Dois debatedores apresentaram seu trabalho na discussão, a engenheira Ana Rosa Angulo, do Grupo de Trabalho em Mudança Climática e Justiça Santa Cruz, que falou sobre suas pesquisas sobre o uso e manejo de agroquímicos na solução agrícola com quatro estudos de caso em Santa Cruz; Da mesma forma, Francileia Paula Castro, educadora do programa da FASE no Mato Grosso, falou sobre a campanha de luta contra os agrotóxicos implementada no Brasil como exemplo de ações contra esse problema.

“A importância desse tipo de conversa está em ampliar espaços para análise e fornecer informações ao público com dados de pesquisas científicas. Isso é importante porque não há informações cientificamente fundamentadas que permitam que os cidadãos conheçam os efeitos desse modelo de agroexportação que predomina no departamento”, afirmou Sheyla Martínez, diretora da CIPCA Santa Cruz.

Entre as principais conclusões alcançadas nesta reunião, segundo Martinez, está a criação de uma aliança entre a CIPCA e a FASE para a realização de ações conjuntas sobre o tema, também sob a perspectiva do plenário na discussão, foi necessário unir esforços de instituições e grupos de ativistas para gerar maior incidência sobre as políticas públicas e reduzir o uso de agrotóxicos nas plantações, principalmente aquelas que são categorizadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como cancerígenos.

“Acredito que a mensagem foi deixada. Os cidadãos, por vezes, não se interessam por essas questões, mas a longo prazo são eles que sofrerão os efeitos nocivos dos agrotóxicos e do desmatamento, os efeitos do aumento da temperatura, a diminuição da precipitação que os coloca em risco e a subsistência das famílias indígenas de San Ignacio de Velasco”, concluiu Martínez.

A CIPCA realizará no dia 13 de junho um evento sobre justiça de gênero baseado nas iniciativas econômicas produtivas.

[1] Publicada originalmente no site Agência de Notícias Fides

Enviando sua mensagem