Notícias

26/04/2021Fase

Café Regional: nas ondas da Amazônia 18

Em abril, o Café Regional falou da presença da mulher na agroecologia, do avanço do garimpo ilegal nas terras da Amazônia Legal e do Acampamento Terra Livre 2021


Desde 2019, o Brasil vem perdendo destaque no cenário internacional por conta do retrocesso de políticas públicas, principalmente no que diz respeito à questão ambiental. Por isso, o programa Café Regional no mês de abril, marcado pela resistência dos povos indígenas, fez uma cobertura pautada no avanço do garimpo ilegal nas áreas da Amazônia Legal e na importância do Acampamento Terra Livre, maior mobilização nativa do país.

Além disso, foi tema de discussão a luta das mulheres por uma alimentação melhor e como isso faz com que elas sejam perseguidas. Então, no dia 03 de abril o assunto foi “A presença da mulher na agroecologia”. Foram entrevistadas Daniele Wagner, pesquisadora em agroecologia e professora da Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA); Norma Maciel, presidente da Associação de Mulheres de Terra Santa e Osvalina Pereira, defensora do Meio Ambiente. 

Seguindo com a sua programação, no dia 10 a temática da vez foi “O Garimpo ilegal em terras indígenas”. Participaram Paulo de Tarso, procurador regional de Itaituba, no Sudoeste do Pará; Dinamam Tuxá, coordenador da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB); Erik Jennings, médico neurocirurgião que atende as comunidades indígenas banhadas pelo Rio Tapajós e Paulo Basta, pesquisador da Escola Nacional de Saúde Pública da Fiocruz. 

No dia 17, o assunto foi o Acampamento Terra Livre 2021 que começou no dia 05 de abril em um cenário em que cerca 305 povos indígenas foram diretamente afetados pela pandemia. Foram entrevistados Kerexu Yxapyry, coordenadora-executiva da APIB;  Auricélia Arapiun, Coordenadora do Conselho Indígena Tapajós Arapiuns (CITA) e Davi Kopenawa, xamã e grande liderança da Terra Indígena Yanomami. 

Fechando o mês, a edição do dia 24 debateu sobre “A destruição da política ambiental brasileira e as ameaças aos territórios coletivos e unidades de conservação”. Participaram o advogado Pedro Martins, da organização Terra de Direitos e Felício Pontes, procurador regional da República. 

Enviando sua mensagem