Luta de mulheres indígenas

Laís Eduarda, do Coletivo Pelas Mulheres Indígenas – ThydêWá, conta que o Intercâmbio na Aldeia Pankararu, em Pernambuco, reuniu mulheres de oito povos. A iniciativa foi apoiada pelo Fundo SAAP, da FASE.

Café Regional: nas ondas da Amazônia nas ondas da Amazônia 23

No mês da independência, o Café Regional falou do Grito das Excluídas, das mobilizações indígenas em defesa da vida e do desmatamento na Amazônia, agravado pelo desmonte de políticas públicas

Café Regional: nas ondas da Amazônia 18

Em abril, o Café Regional falou da presença da mulher na agroecologia, do avanço do garimpo ilegal nas terras da Amazônia Legal e do Acampamento Terra Livre 2021

#Resista: CARTA ABERTA À SOCIEDADE E AO GOVERNO

Em carta aberta à sociedade e ao governo, o movimento #Resista, que reúne cerca de 150 entidades ambientalistas, do campo, indígenas e de direitos humanos, se posiciona contra os retrocessos ocorridos nas agendas ambiental, fundiária e de direitos no governo em vigor, que incluem redução e extinção de áreas protegidas; paralisação das demarcações de terras indígenas, quilombolas e da reforma agrária; enfraquecimento do licenciamento ambiental, ataque à soberania e aprofundamento da insegurança alimentar e nutricional entre tantos outros que se somam a vasta lista de retrocessos e violações de direitos. O documento foi elaborado no marco do primeiro seminário do #Resista, realizado nos dias 18 e 19 em Brasília.

Carta de movimento sociais faz denúncia à ONU

Carta enviada à Organização das Nações Unidas (ONU), assinada por diversos movimentos sociais, organizações e redes da sociedade civil, entre elas a FASE, traz informações sobre os mais recentes retrocessos e violações aos direitos dos povos indígenas no Brasil. O documento destaca, entre outras informações, os ataques violentos contra os povos e comunidades indígenas que continuam a ocorrer, evidenciando um nível elevado de racismo, por exemplo como visto nos casos mais recentes dos ataques aos povos Gamela no Maranhão e Guarani e Kaiowá no Mato Grosso do Sul.

Projeto da Ferrovia Paraense S.A. desrespeita direitos de povos indígenas e comunidades tradicionais

Mesmo sem a participação da população atingida, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia do Pará já produziu o Estudo e o Relatório de Impacto Ambiental, além de um vídeo que enaltece o empreendimento

Caravana fortalece luta pela demarcação da Terra Indígena Maró

Indígenas Arapium e Borari sofrem violações e se mobilizam em defesa de seu território, enfrentando interesses econômicos no Pará

Indígenas Munduruku dizem como deve ser consulta prévia no Tapajós

Eles aprovaram protocolo sobre consulta em relação a hidrelétricas e condicionaram diálogo à demarcação de terra tradicional

Índios exigem conclusão do processo contra Aracruz

Índios Tupinikim e Guarani, do Espírito Santo, iniciaram nesta quarta-feira mais uma ação direta contra a Aracruz Celulose

Desesperada, Aracruz parte para difamação racista

Prestes a ser obrigada a sair da extensa faixa de terra do Espírito Santo que tomou de indígenas na década de 1960, a Aracruz Celulose baixou o nível da disputa com os Tupinikim e Guarani

Índios entregam representação contra Aracruz

A Comissão de Caciques Tupinikim e Guarani entregou ao MPF, em Vitória/ES, uma representação contra a empresa Aracruz Celulose, solicitando que o representante do MPF, Dr. André Pimentel, proponha Ação Civil Pública com o propósito de reparação de danos morais e uso indevido da imagem do Tupinikim no site da empresa. Solicitam também Ação Penal pelo crime de preconceito e escárnio de costumes e cultura indígena

Índios repudiam postura da Aracruz

Caciques e lideranças indígenas Tupinikins e Guaranis se defenderam das ações da Aracruz Celulose de agredir a identidade das comunidades numa campanha difamatória

Contra a prática de racismo da Aracruz Celulose

A Rede Alerta contra o Deserto Verde está recolhendo assinaturas contra a campanha racista e de difamação da Aracruz Celulose contra os índios Tupinikim e Guarani

Aracruz apela para o racismo e colhe repúdio

Prestes a perder terras que que agora o Ministério da Justiça vai demarcar como lugar tradicional dos povos Tupinikim e Guarani, multinacional apelou para argumentos racistas

Aracruz tenta jogar opinião pública contra índios

A Aracruz Celulose está jogando pesado contra as comunidades indígenas do Espírito Santo como resposta à ação iniciada semana passada, de cortes de eucalipto na área em processo de demarcação como reserva indígena

Tupinikim e Guaranis continuam ações pela terra

Em mais uma de suas reações no mínimo desrespeitosas a Aracruz reage ao movimento dos Tupinikim e Guaranis do Espírito santo dizendo que “esses índios não são índios”

Índios Tupinikim e Guarani pedem demarcação já!

200 índios Tupinikim e Guarani iniciaram uma derrubada de eucaliptos, próximo ao viveiro de mudas da Aracruz Celulose, na área que lhes pertence tradicionalmente, invadida e explorada pela empresa Aracruz desde os anos 60

Carta aberta de indígenas Tupinikim e Guarani

Indígenas expõem o que ouviram de representantes dos órgãos públicos e apresentam suas posições