Vídeos


31/08/2016Direito à cidade Território Ocupado A fim de evidenciar os efeitos nocivos das recentes transformações urbanas no Rio de Janeiro, o documentário “Território Ocupado” registrou a sobreposição de intervenções em um espaço onde a vida permaneceu pela resistência: a zona portuária da cidade. O filme, uma realização do programa da FASE no Rio de Janeiro e do Laboratório de Imagem da Faculdade de Serviço Social (FSS/UERJ). A partir de diferentes dimensões, moradores do Morro da Providência, considerada a primeira favela brasileira, e do bairro Caju, são destaque no documentário, que aborda os primeiros grandes aterros, a atividade portuária, o surgimento da capoeira, o cotidiano de pescadores da região, dentre outros pontos. A zona portuária carioca é o local onde foi construída a primeira estrada de ferro do Brasil, algo também comentado na produção. A herança ancestral africana está presente na fala das entrevistadas e entrevistados, que consideram extremamente violentas as recentes transformações do Rio de...
25/07/2016Rio de Janeiro Impactos da militarização da cidade na vida das mulheres A elitização dos espaços urbanos tornou-se uma prática do poder público, imposta pela violência e pelo racismo. A militarização dos espaços pobres e periféricos atinge especialmente as mulheres. No dia 9 de dezembro de 2015, um ato, realizado no Largo da Carioca, no Centro do RJ, foi o ponto culminante de um processo de educação popular realizado ao longo de 2015. O vídeo registra a manifestação, sendo é uma produção da FASE, Justiça Global, o Laboratório de Imagem da UERJ e Couro de Rato, com apoio da Heinrich Böll Brasil.
17/05/2016Amazonia FASE no seminário “Desenvolvimento em Disputa: Por uma economia a serviço da vida” Com cinco mesas de debate, o evento, realizado pela Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais (Abong), teve por objetivo discutir o modelo atual de desenvolvimento‬ e propor paradigmas alternativos que tenham as exigências ecológicas como elemento central. O debate da segunda mesa, cujo tema foi "Economia: como superar o modelo produtivista-consumista?", contou com a participação de Guilherme Carvalho, coordenador do programa da FASE na Amazônia. O seminário aconteceu em Brasília nos dias 17 e 18 de novembro de 2015.
11/12/2015Segurança Alimentar Clemente Ntauazi fala do ProSavana em evento da FASE O moçambicano Clemente Ntauazi, que integra a Ação Acadêmica para o Desenvolvimento das Comunidades Rurais (ADECRU), participou do seminário nacional “Desenvolvimento e movimentos sociais: resistências e construção de alternativas”, promovido pela FASE no Rio de Janeiro nos dias 17 e 18 de novembro. Ele falou sobre os impactos do ProSavana [Projeto de Melhoria da Capacidade de Pesquisa e de Transferência de Tecnologia para o Desenvolvimento da Agricultura no Corredor de Nacala], cooperação envolvendo Brasil, Japão e Moçambique. A atividade reuniu cerca de 80 pessoas e colocou em pauta os impactos do modelo de desenvolvimento, como as violações de direitos humanos e ambientais.
24/06/2015Rio de Janeiro Unidiversidade: Ser Político Esta edição do Unidiversidade, programa do Canal Saúde/FioCruz, fala sobre o "ser político". Os debates abordaram o desencanto com a "política profissional" e discutiram a participação via diversos movimentos e grupos políticos. Qual é a importância do ser político dentro da sociedade atual? Gravado na Rede Mobilizadora Meu Rio - RJ, o programa contou com a participação de Rachel Barros, educadora da FASE no Rio de Janeiro, e foi exibido em 22 de junho de 2015.
21/05/2015Rio de Janeiro Cartografia Social: Olhares de Jovens da Maré Este vídeo mostra um pouco do trabalho de Cartografia Social realizado, ao longo de 2014, pela FASE, em parceria com a Conexão G, no Conjunto de Favelas da Maré, no Rio de Janeiro. Jovens entre 14 e 29 anos construíram um mapa com impressões pessoais e coletivas após participarem de oficinas e realizarem visitas pela região. Dessa forma, compartilharam e adquiriram conhecimentos, fortalecendo suas identidades ao perceberem mais o local onde vivem.
11/07/2012Justiça Ambiental “Para falar de justiça ambiental, é importante falar de injustiça ambiental” “Para falar de justiça ambiental, é importante falar de injustiça ambiental. Tem a ver com o fato de que certas populações são afetadas pelo que o desenvolvimento econômico produz”, esclarece Marcelo Firpo, coordenador da pesquisa do Mapa, ao programa Globo Ecologia. No Brasil, a criação da Rede Brasileira de Justiça Ambiental (RBJA), em 2001, difundiu e consolidou a discussão sobre o conceito, caro à FASE, e influenciando movimentos sociais e organizações.
17/12/2010Justiça Ambiental Maranhão, seu contexto, seus conflitos Desde a implantação da Alumar na década de 80, os conflitos socioambientais têm se acirrado no Maranhão. Atualmente são previstos diversos grandes projetos para o litoral nordeste do estado. Entre os maiores atingidos, novamente, estão moradores de comunidades tradicionais como quilombolas, indígenas e extrativistas. Neste vídeo, representantes de movimentos sociais, associações de moradores e grupos populares do Maranhão identificam os conflitos e revelam sua inquietação na luta contra as ações de empresas mineradoras, siderúrgicas, monocultivos e até setores do governo.


Conteúdos Relacionados

Enviando sua mensagem