Ferrovia Paraense: arbitrariedades contra povos tradicionais

Organizações da sociedade civil denunciam em nota as arbitrariedades do governo de Simão Jatene (PSDB) contra povos indígenas e comunidades tradicionais visando a construção da Ferrovia Paraense, que pretende cortar 23 municípios do Pará. “O governo do Pará decidiu, à revelia dos povos indígenas, quilombolas, camponeses e demais comunidades tradicionais, efetivar a construção da Ferrovia Paraense, um empreendimento que cortará o estado de norte a sul – desde Santana do Araguaia a Barcarena – em cerca de 1312 quilômetros, tudo para favorecer o agronegócio e as transnacionais da mineração no seu intento de atender às demandas dos grandes mercados da Europa, Estados Unidos, China e Japão, entre outros”, destaca o documento.

Agência internacional promete até R$ 200 mil por projeto de empreendimento socioambiental na Amazônia

NESsT Brasil, com apoio do Fundo DEMA, lança edital para capacitação e financiamento de negócios locais

Sínteses dos Eixos Políticos do VIII FOSPA

Durante a realização do VIII Fórum Social Panamazônico em Tarapoto, no Peru, entre os dias 28 de abril e 1º de maio, os participantes puderam contribuir em debates, atividades autogestionadas, na marcha, na feira, no tribunal popular crítico à violência contra as mulheres e nas plenárias a partir de nove eixos políticos específicos: megaprojetos e extrativismo; mudanças climáticas; mulheres; juventudes; educação comunitária intercultural; comunicação para a vida; e cidades para viver na Panamazônia. Todos esses enfoques seguiram dois eixos temáticos comuns: territorialidade e povos amazônicos e andinos; e cuidado com os bens da natureza.

Carta de Tarapoto

O VIII Fórum Social Panamazônico, realizado entre 28 de abril e 1 de maio em Tarapoto, no Peru, produziu, como fruto de suas reflexões e debates coletivos, protagonizados por diversas organizações, movimentos e redes da Panamazônia participantes, assim como por todo o processo prévio de quase um ano e meio de trabalho, a Carta de Tarapoto. Este documento se constitui como um guia com orientações para lutas de resistência, propostas e mudanças a fim de preservar a região no marco de uma nova ordem civilizatória. A carta está em espanhol.

Fórum Pan-Amazônico reunirá mais de 1mil pessoas em defesa da vida

De 12 a 15 de novembro acontece o IX Encontro Internacional do Fórum Social Pan-Amazônico (FOSPA), evento que visa a convergência de propostas para a defesa e a sobrevivência da vida na Amazônia

Café Regional: nas ondas da Amazônia 13

Em outubro, o Café Regional abordou as queimadas, modelo mineral, políticas públicas para as mulheres e para a agricultura familiar e a importância da participação social para garantia da cidadania

Radionovela é utilizada como meio de comunicação na Amazônia

Na Amazônia, o rádio ainda é o meio de comunicação mais acessível. Pensando nisso, a equipe do programa da FASE na Amazônia, criou alguns episódios para alertar sobre a Covid-19 

Café Regional: nas ondas da Amazônia 10

Em julho, os temas abordados foram: mineração, democracia, luta contra Covid-19 e o desmatamento e a militarização da Amazônia

Café Regional: nas ondas da Amazônia 9

Em junho, o programa Café Regional teve como foco a chegada da Covid-19 nas aldeias e comunidades tradicionais; as iniciativas dos movimentos sociais para o combate ao vírus; as ações do Ministério do Meio Ambiente; e as políticas públicas de saúde

Solidariedade amazônida

O programa da FASE na Amazônia e o Fundo Dema, junto a outros parceiros, têm articulado importantes ações emergenciais para atenuar a crise reforçada pela pandemia

Covid-19: o vírus que viaja pelas águas do Tapajós

Em uma região aonde os rios são as estradas, é navegando que os moradores da Amazônia se deslocam para os grandes centros. Essa locomoção fluvial torna-se um sério risco para quem precisa ir à cidade

Transacionais, Estado e o “desenvolvimento” na Pan Amazônica

O modelo de “desenvolvimento” promovido na Pan Amazônia nas últimas décadas tem como base o planejamento e implementação de Grandes Projetos de Investimento (GPI) que viabilizem a privatização dos bens comuns da natureza, propiciando a extração e exportação para os mercados mundiais na forma de commodities. Os poderes públicos, em diferentes escalas, têm tido papel central no avanço desses projetos. Entretanto, tais dinâmicas refletem crescentemente interesse de poderes privados, integrados nos circuitos globais de acumulação de capital: as empresas transnacionais. E, para entender um pouco mais sobre essa relação entre o poder público e os interesses privados de grandes corporações instaladas neste território, a sexta edição da Série de Entrevistas sobre a Amazônia¹ conversa com Diana Aguiar², integrante do Grupo Nacional de Assessoria da FASE.

Nota sobre adiamento de audiência sobre licenciamento ambiental de porto

Em nota lançada na terça-feira (16) após publicação de decisão da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Estado do Pará (SEMAS) de adiar a audiência pública para discutir o Estudo e o Relatório de Impacto Ambiental da Empresa Brasileira de Portos de Santarém (Embraps), inicialmente prevista para o dia 23 de fevereiro, em Santarém, os movimentos sociais exigem a garantia do direito à consulta prévia, livre e informada às comunidades tradicionais que serão afetadas pela construção de porto graneleiro, na região do lago do Maicá, conforme prevê a Convenção 169 da Organização Internacional do Trabalho (OIT).

Entrevista – VIII Fórum Social Pan Amazônico (FSPA)

Rômulo Seoane e Ismael Vega, membros do comitê internacional do próximo Fórum Social Pan Amazônico (FSPA), refletiram em entrevista sobre a realidade da Amazônia, em especial sobre a parte peruana. A conversa integra a Série Entrevistas sobre a Amazônia, uma iniciativa do programa da FASE na Amazônia, com apoio do Fórum da Amazônia Oriental (Faor) e da Fundação Heinrich Böll (HBS). Localizada na província San Martin, a cidade de Tarapoto, no Peru, será o cenário do VIII FSPA, possivelmente em abril de 2017. Sendo uma região marcada por disputas territoriais e pela expansão do agronegócio, Tarapoto foi escolhida estrategicamente para que a luta dos povos indígenas e de comunidades tradicionais possa ser fortalecida. O FSPA está sendo articulado com o objetivo de acolher grupos que lutam em defesa da Pan Amazônia e pela garantia dos direitos de seus povos.

Café Regional: nas ondas do rádio na Amazônia 5

Em dezembro, os destaques do Café Regional foram: a participação das mulheres e a criminalização dos movimentos sociais, o festejo de Natal nas comunidades e os rituais para a virada de ano

Debates de fim de ano: Meio ambiente

A tragédia do meio ambiente no Brasil esteve em pauta no programa Faixa Livre. Para falar sobre o tema foram convidados Guilherme de Carvalho, da FASE, Rogério Rocco, professor e analista do ICMBio e a coordenadora da Fundação Henrich Boll no Brasil, Maureen Santos

Café Regional: nas ondas do rádio na Amazônia 4

Romaria do Bem Viver, consciência negra e o uso intensivo de agrotóxicos foram os destaques de novembro

FASE abre seleção para graduadas (os) em agroecologia, agronomia ou engenharia florestal

A atuação da pessoa contratada se dará em Abaetetuba (PA). Os currículos devem ser encaminhados até o dia 18 de dezembro

I Romaria do Bem Viver: os jovens cabanos

I Romaria do Bem Viver do PAE Lago Grande contou com a organização e a participação da juventude da região, que se movimenta em defesa dos seus territórios

Para barrar retrocessos, povos da Amazônia articulam estratégias de resistência

Em seminário realizado em Santarém entre os dias 5 a 7 de novembro, movimentos sociais e organizações reforçaram a necessidade de desenvolver articulações entre os diferentes povos da Amazônia para enfrentar ameaças