FASE no Globo Ação: Ribeirinhos de Gurupá dão exemplo de desenvolvimento local

Criado em 1997 com o objetivo de apoiar a economia familiar baseada no uso sustentável da água, o projeto Manejo Comunitário do Camarão de Água Doce, instituído pelo núcleo da FASE-Amazônia no Pará, tornou-se um exemplo da importante união entre metodologias participativas e ações concretas para o desenvolvimento local. No município paraense de Gurupá, técnicas sustentáveis para o manejo do camarão – desenvolvidas em coletivo – deram novo valor ao produto local e estabeleceram a pesca familiar de camarão como uma atividade permanente, geradora de renda suficiente para 16 comunidades. O projeto chegou a receber o Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social.

Travessia, 50 anos agindo com os outros

Este vídeo é ao mesmo tempo uma homenagem à FASE e um resumo de sua longa história. Foi realizado a partir de imagens de arquivo. E com a contribuição – por meio de textos, vozes e elaboração – de pessoas que trabalham hoje na FASE e representaram os numerosos funcionários que em diversas partes do Brasil construíramesta trajetória com muitos outros parceiros.

Veja o depoimento: “Eu apóio o MST”

Neste vídeo, quem argumenta é Jean Pierre Leroy, ambientalista e educador da Fase

Entrevista: sustentabilidade e desenvolvimento

O assessor da Fase Jean-Pierre Leroy, membro do Núcleo Justiça Ambiental e Direitos, falou à TV Diplomatique, da revista Le Monde Diplomatique Brasil, sobre sustentabilidade, desenvolvimento, consumo e agroecologia.

Maranhão, seu contexto, seus conflitos

Desde a implantação da Alumar na década de 80, os conflitos socioambientais têm se acirrado no Maranhão. Atualmente são previstos diversos grandes projetos para o litoral nordeste do estado. Entre os maiores atingidos, novamente, estão moradores de comunidades tradicionais como quilombolas, indígenas e extrativistas. Neste vídeo, representantes de movimentos sociais, associações de moradores e grupos populares do Maranhão identificam os conflitos e revelam sua inquietação na luta contra as ações de empresas mineradoras, siderúrgicas, monocultivos e até setores do governo.

Agroextrativismo de frutos do cerrado: gerando riquezas e conservando a natureza

Projeto está mudando a vida de 108 famílias, duas comunidades tradicionais e cinco assentamentos de reforma agrária em Cáceres,no Mato Grosso. Sob a pressão de um intenso desmatamento do Cerrado e ainda estranguladas pela força do agronegócio exportador que toma conta da maior parte dos territórios do MT, estas famílias vêm recebendo assistência técnica a política da Fase Mato Grosso para melhorar sua subsistência econômica e seu nível de desenvolvimento social e humano.

“Agroecologia é alternativa hoje e para o futuro”

Em entrevista à Articulação Semiárido Brasileiro, Maria Emília Pacheco, assessora nacional da FASE e integrante do núcleo-executivo da Articulação Nacional de Agroecologia, comentou o desmonte das políticas públicas no Brasil, principalmente no que diz respeito à educação. Além disso, fez reflexões sobre o mês do meio ambiente, relacionando saúde e sustentabilidade em meio à pandemia e outros assuntos.

FASE Bahia auxilia implantação de Quintais Produtivos

Seis Quintais Produtivos estão sendo implantados com a assessoria técnica da FASE na Bahia, em parceria com a Associação dos Pequenos Agricultores da Comunidade do Riacho do Caboclo – ASPARC, localizada na cidade de Presidente Tancredo Neves, território Baixo Sul baiano. Aline Souza e Silvanei Barbosa são os educadores da FASE responsáveis pela ação.

Educadores da FASE criam verbetes para Dicionário de Agroecologia

São eles, os verbetes: “Fome”, escrito por Maria Emília L. Pacheco; “Agroecologia nas Nações Unidas”, por Maureen Cristina Martins dos Santos, “Bens Comuns”, escrito por Julianna Malerba e o Bioma “Pantanal”, desenvolvido Fran Paula de Castro e Leonel Wohlfahrt.

Bahia: agricultores familaires organizam feira coletiva no Valé do Jiquiriçá

O objetivo da ação é gerar renda para produtores locais e incentivá-los a seguir uma agricultura limpa, sem o uso de agrotóxicos

Formação da FASE em Mato Grosso incentiva troca de saberes e sementes

A atividade faz parte do Projeto Amazônia Agroecológica e reuniu lideranças e famílias agricultoras de comunidades quilombolas e assentamentos da reforma agrária

Horta comunitária é ampliada através de parceria entre FASE e Articulação Recife de Luta

Comunidade Caranguejo Tabaiares, na Zona Oeste do Recife, teve sua horta comunitária ampliada com objetivo de intensificar a luta pelo direito à cidade 

Curso debate a relação dos agricultores familiares com a natureza

A ação foi realizada através do projeto Amazônia Agroecológica com agricultores familiares de Abaetetuba, no Pará.

“Não se promove agroecologia sem enfrentar a violência contra a mulher”

Programa de formação “Mulheres e Agroecologia” reuniu agricultoras e extrativistas do Assentamento Agroextrativista PAE Lago Grande e Baixo Tocantins, no Pará, atendidas pelo projeto Amazônia Agroecológica

Assentamento no Pará recebe oficinas para implantação de hortas e sistemas agroflorestais

A iniciativa é do programa da FASE na Amazônia, através do projeto Amazônica Agroecológica, no Assentamento PAE Lago Grande

“Produzir e consumir alimentos saudáveis não pode ser um privilégio de cor”, afirma Fran Paula

Educadora do programa da FASE no Mato Grosso fala sobre racismo no campo em entrevista ao portal Mídia Ninja

Associação de Agricultores é a primeira a acessar o PAA Emergencial em Presidente Tancredo Neves, na Bahia

A Associação dos Pequenos Agricultores da Comunidade do Riacho do Caboclo (ASPARC) é apoiada pelo programa da FASE na Bahia

Cartilha: Como criar um projeto de lei estadual ou municipal para reduzir os agrotóxicos?

A Terra de Direitos e a Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida, da qual a FASE é parte, elaboraram uma cartilha para orientar organizações e movimentos sociais, pastorais, camponeses/as, agricultores/as, lideranças e assessorias no poder legislativo dos estados e municípios brasileiros na elaboração de projetos de lei (PL) sobre redução do uso dos agrotóxicos. O material ainda aborda exemplos de PLs já aprovados para reduzir ou limitar a produção, comercialização, transporte, armazenamento e uso de agrotóxicos nos estados e municípios e proteger nossa biodiversidade e a nossa saúde.

Pela vida das mulheres resistiremos com segurança alimentar e nutricional

Neste 8 de Março nos reunimos para o BANQUETAÇO! Nesta grande mesa partilharmos agroecologia e cultura alimentar somos esse movimento de luta pela garantia do Direito Humano à Alimentação. Lutamos também pela vida das mulheres, que são mortas pelo machismo em suas casas.